DIVERSOS | 24/01/2024 às 09h00

A pedido do SRCG, MAPA reforça fiscalização no trânsito de animais na fronteira

As ações de intensificação foram incluídas no planejamento das operações de combate à ilícitos da Divisão de Fiscalização e Coerção ao Trânsito Irregular - DICOT

 

Atendendo a solicitação do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho - SRCG, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, pediu a intensificação nas operações de combate a ilícitos, especialmente no trânsito de animais e produtos de origem animal. A preocupação é reflexo do processo de suspensão da vacinação contra a febre aftosa, pelo Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa - PNEFA.

 

Para o presidente do SRCG, Alessandro Coelho, os produtores e entidades estão preocupados  com os possíveis impactos da suspensão da vacinação à Organização Mundial de Saúde Animal - OMSA, devido à falta de estrutura do sistema de defesa sanitária boliviano. “Essa medida tem potencial de afetar diretamente o estado de Mato Grosso do Sul, uma vez que a vacina também foi retirada aqui, o que deixa o rebanho estadual mais vulnerável a uma possível reintrodução da doença. A febre aftosa representa uma ameaça significativa para a nossa pecuária, um setor fundamental para a economia”, explica.

 

A Bolívia e o Brasil se encontram em processo de suspensão da vacinação contra a doença. Para reforçar a eficácia das ações, o Brasil realiza vigilância constante em sua faixa de fronteira, visando a redução de riscos de introdução de doenças e o controle do trânsito irregular. Entre as ações destacadas pelo Serviço Veterinário Oficial (SVO) estão a fiscalização rotineira do trânsito de animais e produtos, identificação de fatores de risco epidemiológico, investigação de espaços vulneráveis e reuniões periódicas com instituições dos países vizinhos.

 

No Mato Grosso do Sul, o Decreto Estadual nº 15.925, institui o Programa de Vigilância Sanitária Agropecuária de Fronteiras Lobo Guará, intensificando as atividades de vigilância na zona de fronteira internacional. No documento, respondido pelo MAPA, o  Departamento de Saúde Animal destaca que a demanda de reforço na fiscalização já foi incluída no planejamento das operações da Divisão de Fiscalização e Coerção ao Trânsito Irregular (DICOT).

 

No ofício encaminhado pelo SRCG, a instituição pediu ainda o fortalecimento da cooperação entre o Brasil e a Bolívia no que diz respeito ao controle e erradicação da febre aftosa. “É fundamental estabelecer um diálogo contínuo e eficiente entre as autoridades sanitárias dos dois países, compartilhando informações e experiências para o benefício mútuo.”, finaliza.

 

Geliel Oliveira / Agro Agência Assessoria

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas