POLITICA | 17/10/2022

RECONHECIMENTO: Com cerca de 900 mil votos, Tereza Cristina tem trabalho reconhecido e ocupará cadeira no Senado Federal

Com 60% dos votos válidos, a diretora e associada do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), Tereza Cristina (PP) foi eleita senadora por Mato Grosso do Sul. Com cerca de 900 mil votos, a ex-ministra da Agricultura foi a segunda mulher mais votada para o senado nas eleições de 2022. Reconhecida pelo empenho ao agronegócio sul-mato-grossense, a produtora rural, fará muito pela agropecuária brasileira, é o que acredita o presidente Alessandro Coelho.

 

“É uma honra muito grande para Mato Grosso do Sul ter a ministra Tereza Cristina nos representado no Senado Federal. O seu currículo e serviços prestados para o país, é uma demonstração clara de que fizemos a escolha correta. Os desafios do setor são enormes e ter uma parlamentar tão atuante, nos dá confiança para seguir produzindo com segurança”, exaltou o presidente do SRCG.

 

Histórico pautado no desenvolvimento do agro

 

Anunciada como ministra da Agricultura em 2018, no início do atual governo, a futura senadora tem seu histórico pautado no desenvolvimento do agronegócio. Natural de Campo Grande-MS, 68 anos, é produtora rural, formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais.

 

Desde o fim da década de 1990, ocupou cargos ligados à agricultura e pecuária em Mato Grosso do Sul. Foi diretora da Federação da Agricultura e Pecuária de MS, superintendente do Senar/MS, Secretaria de Desenvolvimento Agrário da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo,  Diretora-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Diretora-presidente da Empresa de Gestão de Recursos Minerais de Campo Grande.

 

Em 2014 foi eleita deputada federal, quando passou a ocupar uma cadeira no Congresso Nacional representando o setor produtivo. Foi presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária. Como membro titular atuou em importantes comissões na Casa, como a de Finanças e Tributação; Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. Foi premiada na categoria “Melhores deputados” na 11ª edição do Prêmio Congresso em Foco, veículo especializado na cobertura do Congresso Nacional. Reeleita em 2018, se consolidou como uma das lideranças da bancada ruralista no Congresso.

 

A deputada federal deixou o legislativo em 2019 para assumir o comando do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil (MAPA), sendo reconhecida como uma das melhores ministras do país.

 

 

Em sua gestão à frente do MAPA, o órgão retomou sua credibilidade junto aos produtores, do mercado interno e estabelecendo novos acordos internacionais, em especial junto aos países asiáticos.

 

Com sua experiência como produtora rural e cargos no executivo do MS, Tereza Cristina proporcionou uma intervenção realista. Sua atuação, além de técnica, ocupou uma das cadeiras mais importantes na seara política nacional, sendo uma das pessoas mais próximas do Presidente da República.

 

Na esteira de avanços e conquistas, o aumento da compra de carnes pela China criou um efeito otimista e melhora de preços da arroba, que há 12 anos o preço da carne não passava por reajustes, entre altas insignificantes e com forte pressão de aumento do custeio nas propriedades rurais, no novo cenário as perspectivas são de recuperação e investimentos, o Brasil está na vanguarda da produção de proteína, cada vez mais necessária para suprir um mercado em crescimento.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas