(67) 3341-2151 // (67) 3341-2696 Rua Raul Pires Barbosa, nº 116 - Miguel Couto CG-MS
DIVERSOS | 18/02/2019 às 14h28

Pesquisa do uso da fertilização in vitro para a produção do novilho precoce é um dos destaques da Dinapec

O estudo do pesquisador Eriklis Nogueira, da Embrapa Pantanal, para o uso da fertilização in vitro (FIV) na produção do novilho precoce, é um dos destaques da programação da feira Dinâmica Agropeucária, a Dinapec, que a entidade em parceria com o Sistema Famasul promove entre quarta e sexta-feira, dias 20 e 22, em Campo Grande.

 

Resultados preliminares do trabalho vão ser apresentados no roteiro tecnologico “+ Precoce: Tecnologias para a produção de novilho precoce”, que vai ser apresentado nos três dias de feira. Na quarta, das 14h às 16h, na quinta, das 9h às 11h e na sexta também das 9h às 11. 

 

Nogueira comenta que o FIV é uma técnica que é utilizada principalmente para a produção de bovinos com genética superior, para acelerar a seleção e o melhoramento genético desses rebanhos e que o objetivo da pesquisa foi avaliar a viabilidade de sua aplicação na produção do novilho precoce.

 

O pesquisador diz que os estudos começaram há cerca de três anos e que os resultados preliminares, que serão apresentados na feira, estão sendo obtidos agora com o abate do lote de 45 animais produzidos com a técnica.

 

Ele explica que no lote foram produzidos três tipos de novilhos. Para a produção do primeiro grupo foi feita a aspiração de vacas “in vivo” de um rebanho de seleção, vacas PO (Puro de Origem). “São vacas de alta genética. Aspiramos ‘in vivo’ e produzimos embriões com sêmen sexado de macho, da raça angus. Fizemos eles cruzados machos, com taxa de nascimento de bezerros machos”.

 

O sêmen sexado a que o pesquisador faz referência é capaz de produzir, propositalmente, descendentes machos ou fêmeas, atendendo o interesse do produtor ou no caso do pesquisador.

 

O segundo grupo do lote, conforme ele, foi produzido utilizando também sêmen sexado de macho, mas ovários retirados de vacas rebatedoras no frigorifico. “Isso diminui o custo. Você vai no frigorífico, pega os ovários e produz aquele grande número de embriões, também com sêmen sexado”.

 

Fonte: Anderson Viegas/G1 MS

Foto: Robson Stellato/Embrapa Pantanal

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas

Produtor, cadastre e receba novidades
Cadastre-se e receba novidades
Imprensa, cadastre e receba novidades
Cadastre-se e receba novidades